Após 10 anos, Córrego Mãe Rosa recebe melhorias

Há menos de um ano e meio que a nova gestão assumiu a Prefeitura de Campo Limpo Paulista, inúmeros serviços acumulados de anos e até mesmo de décadas, aos poucos estão sendo colocados em ordem. E depois das fortes chuvas do fim de janeiro, a Prefeitura intensificou ainda mais as diversas operações no município. A Secretaria de Serviços Urbanos (SSU), por exemplo, não mede esforços e faz até turnos extras aos fins de semana se for preciso, com trabalhos de manutenções nas estradas de terra, serviços de tapa buracos, limpezas em bueiros, entre outros. 

E nesta segunda-feira (02) após dez anos sem manutenção no córrego Mãe Rosa, que fica na região central do bairro Botujuru, a equipe iniciou o trabalho que envolve a poda de vegetação nas laterais, recolhimento de resíduos e reparos nas paredes e barrancos. 

“Desde que assumi a Prefeitura, nos deparamos com muitos serviços acumulados. Alguns serviços essenciais, como o Centro de Referência de Combate ao Covid-19, a UTI no Hospital das Clínicas, suporte aos afetados pelas fortes chuvas, investimento em educação, só para citar alguns, foram feitos num tempo menor. Outros, como o dispêndio do Córrego Mãe Rosa, precisou de um tempo maior para iniciar, pelo grau de prioridade e até mesmo pela organização dos recursos. Mas garanto, aos poucos, vamos deixando tudo em ordem”, enfatiza o prefeito Dr. Luiz Braz.

O gestor do SSU, Denis Braghetti, explica que devido ao grande período que o córrego ficou sem a manutenção necessária, muitos resíduos foram acumulados, dificultando o acesso de máquinas e caminhões ao canal da encosta para fazer o processo de desassoreamento, que remove sedimentos acumulados no fundo do riacho. Só no primeiro dia de operação, 30 caminhões de resíduos foram recolhidos.

“O acúmulo de resíduos é tão grande que o tempo para realizar a limpeza e manutenção do córrego será maior do que esperávamos. Mas é necessário que seja feito de uma forma bem minuciosa, com o objetivo de evitar futuros problemas. Afinal, este serviço não somente evita o transbordo do córrego, como também age na melhoria do escoamento e minimiza inundações, como o que ocorreu há quatro meses, mas também evita a propagação de doenças e a proliferação de insetos e roedores”, explica. A estimativa de término desse trabalho é de, aproximadamente, 20 dias.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. OK Leia +