Oito pessoas são presas em operação contra “gatos” em Várzea Paulista

Ação da Polícia Civil, a requerimento da CPFL Piratininga, deteve oito pessoas em Várzea Paulista acusadas de furto de energia. Foi a segunda ação do tipo na Região para coibir o crime, que é praticado por meio de ligações clandestinas nos imóveis conhecidas como “gato”.

Os trabalhos ocorreram no bairro Cidade Nova 2, com os policiais e funcionários da empresa de energia percorrendo toda a região para observar residências com ligações ilegais.

Constatado o crime, o responsável pelo imóvel recebeu voz de prisão e foi conduzido com todos os outros detidos à delegacia para a elaboração do auto de prisão em flagrante.

Furto x estelionato

De acordo com lei, moradores envolvidos em situações irregulares relacionadas ao fornecimento de energia elétrica podem responder por crimes de furto ou de estelionato.

O furto se configuraria com o desvio da corrente elétrica antes que ela passe pelo medidor. É o que ocorre nos casos em que moradores trazem a energia direto do poste para casa, os chamados “gatos”.
Neste caso, responderá o autor por furto simples, que tem pena de reclusão, de um a quatro anos, e é afiançável (o valor é determinado pelo delegado responsável pelo auto de prisão em flagrante).
Já o estelionato é cometido pela conduta do morador de modificar o medidor de energia instalado obrigatoriamente no imóvel que recebe o serviço da empesa. Neste caso, a intenção do autor pagar valor menor na conta de energia.